Novo Rol de Procedimentos

Novo Rol de Procedimentos


A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) disponibilizou para consulta pública, em meados de junho de 2017, a atualização da cobertura mínima obrigatória que os planos de saúde devem oferecer a seus beneficiários.

O rol de procedimentos é atualizado pela ANS, a cada dois anos, através de avaliações feitas por um grupo técnico composto por representantes do COSAÚDE (comitê consultivo formado por órgãos de defesa do consumidor, ministérios, operadoras de planos de saúde, representantes de beneficiários, de profissionais da área de saúde e de hospitais), com o intuito de garantir melhorias ao acesso de diagnóstico, tratamento e acompanhamento das doenças através de técnicas que possibilitem o melhor resultado à saúde.

No novo rol que entrará em vigor a partir de janeiro de 2018 foram incluídos 15 procedimentos relacionados a medicamentos e exames para tratamento do câncer, esclerose múltipla, oftalmologia bem como cirurgias, terapias e exames para mulheres e crianças.

Nesse contexto e diante da obrigatoriedade do Rol nos planos que entraram em vigor após a Lei nº 9.656 e aqueles adaptados à lei, a Strategy Consultoria, avaliou o impacto da inclusão desses novos procedimentos bem como aqueles que sofreram alteração de DUT, nas despesas assistenciais das operadoras de planos de saúde, concluindo que haverá acréscimo nas despesas. Em breve publicaremos estudo detalhado. Acompanhe-nos no Linkedin e saiba os impactos de cada novo procedimento do rol.

Salientamos que nossas análises basearam-se em pesquisas literárias, artigos médicos, apoio técnico de especialista médico, estatísticas internas, bem como da expertise da Strategy Consultoria.
 

Emiliana Pereira
Analista Técnica Atuarial
Strategy Consultoria Atuarial e Regulatória


Data do artigo: 24/08/2017