Artigos

REGULAÇÃO DOS REAJUSTES DOS PLANOS COLETIVOS?

Está em tramitação na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, um projeto de Lei PLS 282/2014 do Senador Antonio Carlos Porto de Andrade, “Kaká Andrade” (PDT/SE), (substitui o Senador Eduardo Amorim, licenciado devido a sua candidatura ao Governo do Estado), para que os planos de Saúde Coletivos tenham seus reajustes submetidos à Agência Nacional de Saúde (ANS).
Veja Mais

DESAFIOS DA SAÚDE SUPLEMENTAR NO BRASIL

A Saúde de uma forma geral possui muitos desafios a serem superados. A Saúde Suplementar no Brasil, em especial, possui como principais desafios o aumento e o envelhecimento da população brasileira, a demanda crescente por atendimento, a evolução, complexidade e o constante aumento de custos da medicina e a capacidade financeira, administrativa, de investimento e tecnológica.
Veja Mais

Seguro de Proteção de Dados & Responsabilidade Cibernética

Cada vez mais as Empresas estão dependentes da tecnologia para gerenciar seus negócios e informações. Hoje, praticamente todas as empresas trabalham com dados pessoais e corporativos, como: número de cartão de crédito, identidade, endereço, registros médicos, passaporte, lista de clientes, orçamento, planos de negócios, planos de marketing, etc.
Veja Mais

COMO ENTENDER O POSICIONAMENTO DO SEU PREÇO DIANTE DO SEU CONCORRENTE

Frequentemente somos questionados pelas Operadoras sobre a razão pela qual precificamos os produtos gerando valores superiores aos praticados pelos concorrentes. O grande desafio do atuário é identificar, por meio de análises técnicas, o preço que não exponha a Operadora ao risco de não honrar os compromissos gerados pelo contrato, e ao mesmo tempo sem ser conservador a ponto de inviabilizar a comercialização dos produtos.
Veja Mais

IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMAS PARA REDUÇÃO DA DESPESA ASSISTENCIAL

A combinação de sedentarismo, estresse, competição e envelhecimento da população aumentou consideravelmente a quantidade de doenças originadas no ambiente de trabalho. Isso ajuda a explicar porque o peso da saúde sobre a folha de pagamento das empresas saltou de 4% para 8% em duas décadas no Brasil.
Veja Mais

COPARTICIPAÇÃO X FRANQUIA

No Brasil, desde os idos anos 90 iniciou-se o movimento de criar modelos de coparticipação no sentido de trazer o funcionário a participar do financiamento do plano de saúde corporativo. Inicialmente os modelos de planos autogeridos ou autossegurados (em modelo de pós pagamento/custo operacional) foram os pioneiros em buscar esta solução para uma mais eficiente gestão de custos, que cresciam acima da inflação. Leia o texto na íntegra...
Veja Mais

A POLÊMICA DO RESSARCIMENTO AO SUS

Desde que foi instituído pela ANS, o ressarcimento ao SUS tem gerado diversas controvérsias no setor de saúde, obviamente por parte das operadoras de plano de saúde que, na maioria dos casos, não concordam com a forma como são cobrados os procedimentos realizados por seus beneficiários nem com a realização dos pagamentos ao governo. Inclusive o Estado, além dos procedimentos hospitalares, já iniciou a cobrança dos procedimentos ambulatoriais realizados. Leia a notícia na íntegra...
Veja Mais

A SAÚDE DE DIVERSOS ÂNGULOS

De uns tempos pra cá, temos acompanhado na mídia em geral, um movimento dirigido de exposição e questionamento das Operadoras de Plano de Saúde (OPS), divulgando diversas situações de negativas de atendimentos experimentais, de procedimentos não cobertos e também sobre os reajustes das mensalidades dos usuários, passando inclusive pela baixa remuneração dos médicos.
Veja Mais

IMPACTO DOS GRANDES EVENTOS NA OPERAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE

A saúde suplementar atende a mais de 49 milhões de brasileiros e destes 79% estão vinculados a planos empresariais, segundo informação disponível no site da ANS. Ao observarmos a evolução dos beneficiários em planos coletivos e a evolução do PIB (Produto Interno Bruto) notamos uma relação quase que linear entre eles, como pode ser visto no gráfico a seguir.
Veja Mais

Seguro de Responsabilidade Civil de Diretores e Administradores - D&O

A atividade empresarial está sujeita a um elevado número de riscos, imposta principalmente pela legislação vigente que responsabiliza os Diretores e Administradores de Operadoras de Plano de Saúde por danos causados à própria sociedade, acionistas, credores sociais, trabalhadores e terceiros, por erros de gestão pelos quais responde o seu patrimônio pessoal. Para minimizar estes riscos, várias Operadoras estão adquirindo o Seguro de Responsabilidade Civil de Diretores e Administradores - (D&O): um Seguro que visa proteger os bens pessoais dos seus Administradores e Diretores contra riscos de responsabilização pessoal, ligados aos negócios e atividades da empresa em que atuam.
Veja Mais

GESTÃO DAS PARTES INTERESSADAS COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

Cada vez mais é importante que as Operadoras busquem um melhor relacionamento e integração com clientes, prestadores de serviços, ANS e demais envolvidos na operação de planos de saúde.
Veja Mais

Equilíbrio ou Controle da Despesa Administra nas Operadoras

É sabido que a sinistralidade de uma Operadora de Planos de Saúde deve estar abaixo de 80%, preferencialmente em torno de 75%. Os 25% restantes da receita são suficientes para sustentar as despesas administrativas e comerciais e gerar lucro ou sobra. Isso é o que a experiência de mercado indica como um índice de sinistralidade satisfatório, porém, o que visualizamos é um aumento na despesa administrativa.
Veja Mais

O Risco nos Planos de Saúde

Risco é a probabilidade de ocorrência de um determinado evento que gere prejuízo econômico, é a possibilidade do dano. O simples fato de uma atividade existir abre a possibilidade da ocorrência de eventos danosos.
Veja Mais

Indicadores na Saúde

No Brasil, quando falamos em indicadores, imediatamente pensamos em algumas siglas como INPC, IGP-M, PIB e também em inflação, dólar etc. Pois são os indicadores mais conhecidos do público em geral, mas poucos se dão conta que nos competitivos dias de hoje, convivemos sempre com indicadores, pois todos passamos por avaliações, sejam subjetivas ou científicas, em todos os setores, sejam pessoais ou profissionais.
Veja Mais

O papel dos beneficiários nas boas práticas da saúde suplementar

Com mais autuações e processos, aumenta a procura pelo Seguro de Responsabilidade Civil de Diretores e Administradores de Empresas D&O

CHECKUP, prevenção ou impacto financeiro?

SUSTENTABILIDADE DA SAÚDE SUPLEMENTAR

PLANO DE CUIDADO DO IDOSO NA SAÚDE SUPLEMENTAR: UM NOVO MODELO DE GESTÃO

O paradigma assistencialista dos planos de saúde.

Saúde no Brasil, uma questão muito mais ampla