Artigos

IMPORTÂNCIA DO SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISIONAL

A responsabilidade civil é caracterizada pela falta de intenção de prejudicar o outro. Ou seja, a possibilidade existente no dia a dia dos mais diversos profissionais.
Veja Mais

Os dois lados da extensão do plano de saúde a aposentados e demitidos

Desde o início da regulação dos planos de saúde, a ANS já previa nos artigos 30 e 31 da Lei 9656/98 a possibilidade de que aposentados e demitidos (inativos) permanecessem vinculados aos contratos coletivos quando se desligassem da empresa, seja por aposentadoria ou por demissão sem justa causa, desde que tivessem contribuído com o custeio do plano enquanto ativos, independentemente da utilização.
Veja Mais

Indisponibilidade de Bens - Seguro de Responsabilidade Civil Diretores e Administradores - D&O

A Lei No. 9.656, de 03 de Junho de 1998 especifica em seu Art. 24 que sempre que detectadas nas Operadoras insuficiência das garantias do equilíbrio financeiro, anormalidades econômico-financeiras ou administrativas graves que coloquem em risco a continuidade ou a qualidade do atendimento à saúde, a ANS poderá determinar a alienação da carteira, o regime de direção fiscal ou técnica, por prazo não superior a trezentos e sessenta e cinco dias, ou a liquidação extrajudicial, conforme a gravidade do caso.
Veja Mais

As operadoras de planos de saúde passam por um período de desafios e transição. E quando esta fase acabará?

Muito se discute sobre o envelhecimento populacional, o aumento da sinistralidade, as exigências da ANS, modelos de remuneração, a relação contratual entre operadora e prestadores, dentre vários outros assuntos. O fato é que os rumos que o negócio Operadora de Plano de Saúde tomou deixa incrédulo até o mais otimista, basta observarmos os números do setor.
Veja Mais

Balanço do Pool de Risco

Após três anos de sua publicação, a Resolução Normativa nº 309, que implementou o Pool de Risco, ainda causa muitas dúvidas e confusões, por se tratar de assunto polêmico.
Veja Mais

Utilização saudável do Plano de Saúde

Ao analisarmos o comportamento e a utilização dos planos de saúde, visualizamos em muitas oportunidades o crescimento da frequência de exames e consultas. Normalmente esse aumento reflete diretamente no índice de sinistralidade.
Veja Mais

Gestão da saúde e não da doença

2015, segundo economistas, especialistas, estudiosos, astrólogos, videntes entre outros, promete ser um ano difícil em todos os sentidos. Em nosso setor de saúde, todos os planejamentos estratégicos elaborados no final do ano passado atentam para a instabilidade do dólar e seus impactos diretos nos insumos hospitalares, órteses, próteses e principalmente medicamentos oncológicos.
Veja Mais

Produto de atenção primária à saúde

Diante do cenário atual, para as operadoras que desejam inovar e investir no lançamento de novos produtos descrevemos abaixo algumas recomendações
Veja Mais

As Alterações nos Padrões de Morbimortalidade no Brasil e a Estrutura dos Sistemas de Saúde

Nas últimas décadas o Brasil enfrentou diversas transformações em sua estrutura populacional. A queda da taxa de mortalidade, bem como a intensa queda da fecundidade, tem provocado incrementos populacionais a ritmos decrescentes, que fazem parte do processo definido por diversos autores como “transição demográfica”.
Veja Mais

Impacto na Transição Demográfica

Veja a opnião de nosso time de profissionais sobre este importante tema acerca do cenário de envelhecimento da população brasileira.
Veja Mais

REGULAÇÃO DOS REAJUSTES DOS PLANOS COLETIVOS?

Está em tramitação na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, um projeto de Lei PLS 282/2014 do Senador Antonio Carlos Porto de Andrade, “Kaká Andrade” (PDT/SE), (substitui o Senador Eduardo Amorim, licenciado devido a sua candidatura ao Governo do Estado), para que os planos de Saúde Coletivos tenham seus reajustes submetidos à Agência Nacional de Saúde (ANS).
Veja Mais

DESAFIOS DA SAÚDE SUPLEMENTAR NO BRASIL

A Saúde de uma forma geral possui muitos desafios a serem superados. A Saúde Suplementar no Brasil, em especial, possui como principais desafios o aumento e o envelhecimento da população brasileira, a demanda crescente por atendimento, a evolução, complexidade e o constante aumento de custos da medicina e a capacidade financeira, administrativa, de investimento e tecnológica.
Veja Mais

Seguro de Proteção de Dados & Responsabilidade Cibernética

Cada vez mais as Empresas estão dependentes da tecnologia para gerenciar seus negócios e informações. Hoje, praticamente todas as empresas trabalham com dados pessoais e corporativos, como: número de cartão de crédito, identidade, endereço, registros médicos, passaporte, lista de clientes, orçamento, planos de negócios, planos de marketing, etc.
Veja Mais

COMO ENTENDER O POSICIONAMENTO DO SEU PREÇO DIANTE DO SEU CONCORRENTE

Frequentemente somos questionados pelas Operadoras sobre a razão pela qual precificamos os produtos gerando valores superiores aos praticados pelos concorrentes. O grande desafio do atuário é identificar, por meio de análises técnicas, o preço que não exponha a Operadora ao risco de não honrar os compromissos gerados pelo contrato, e ao mesmo tempo sem ser conservador a ponto de inviabilizar a comercialização dos produtos.
Veja Mais

IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMAS PARA REDUÇÃO DA DESPESA ASSISTENCIAL

A combinação de sedentarismo, estresse, competição e envelhecimento da população aumentou consideravelmente a quantidade de doenças originadas no ambiente de trabalho. Isso ajuda a explicar porque o peso da saúde sobre a folha de pagamento das empresas saltou de 4% para 8% em duas décadas no Brasil.
Veja Mais

COPARTICIPAÇÃO X FRANQUIA

No Brasil, desde os idos anos 90 iniciou-se o movimento de criar modelos de coparticipação no sentido de trazer o funcionário a participar do financiamento do plano de saúde corporativo. Inicialmente os modelos de planos autogeridos ou autossegurados (em modelo de pós pagamento/custo operacional) foram os pioneiros em buscar esta solução para uma mais eficiente gestão de custos, que cresciam acima da inflação. Leia o texto na íntegra...
Veja Mais

A POLÊMICA DO RESSARCIMENTO AO SUS

Desde que foi instituído pela ANS, o ressarcimento ao SUS tem gerado diversas controvérsias no setor de saúde, obviamente por parte das operadoras de plano de saúde que, na maioria dos casos, não concordam com a forma como são cobrados os procedimentos realizados por seus beneficiários nem com a realização dos pagamentos ao governo. Inclusive o Estado, além dos procedimentos hospitalares, já iniciou a cobrança dos procedimentos ambulatoriais realizados. Leia a notícia na íntegra...
Veja Mais

A SAÚDE DE DIVERSOS ÂNGULOS

De uns tempos pra cá, temos acompanhado na mídia em geral, um movimento dirigido de exposição e questionamento das Operadoras de Plano de Saúde (OPS), divulgando diversas situações de negativas de atendimentos experimentais, de procedimentos não cobertos e também sobre os reajustes das mensalidades dos usuários, passando inclusive pela baixa remuneração dos médicos.
Veja Mais

IMPACTO DOS GRANDES EVENTOS NA OPERAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE

A saúde suplementar atende a mais de 49 milhões de brasileiros e destes 79% estão vinculados a planos empresariais, segundo informação disponível no site da ANS. Ao observarmos a evolução dos beneficiários em planos coletivos e a evolução do PIB (Produto Interno Bruto) notamos uma relação quase que linear entre eles, como pode ser visto no gráfico a seguir.
Veja Mais

Seguro de Responsabilidade Civil de Diretores e Administradores - D&O

A atividade empresarial está sujeita a um elevado número de riscos, imposta principalmente pela legislação vigente que responsabiliza os Diretores e Administradores de Operadoras de Plano de Saúde por danos causados à própria sociedade, acionistas, credores sociais, trabalhadores e terceiros, por erros de gestão pelos quais responde o seu patrimônio pessoal. Para minimizar estes riscos, várias Operadoras estão adquirindo o Seguro de Responsabilidade Civil de Diretores e Administradores - (D&O): um Seguro que visa proteger os bens pessoais dos seus Administradores e Diretores contra riscos de responsabilização pessoal, ligados aos negócios e atividades da empresa em que atuam.
Veja Mais

GESTÃO DAS PARTES INTERESSADAS COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

Cada vez mais é importante que as Operadoras busquem um melhor relacionamento e integração com clientes, prestadores de serviços, ANS e demais envolvidos na operação de planos de saúde.
Veja Mais