Artigos Técnicos

A Despesa Não Assistencial na Composição de Preço do Plano de Saúde

A precificação se trata de um processo necessário para determinar o valor monetário de qualquer tipo de bem ou serviço que será prestado, e para que esse valor seja justo é preciso considerar diversos fatores como: custos, concorrência, perfil do consumidor e valor agregado. Elaborar um preço sem ponderar a utilização de todas as variáveis necessárias se torna uma decisão altamente arriscada, visto que o preço é considerado o princípio de uma boa forma de estratégia lucrativa de um negócio.


Veja Mais

Perspectivas e Cenário da Saúde Suplementar em 2018

A temperatura estava elevada naquela tarde de outono, dentro e fora do Web Summit  Lisboa, investidores de fundos três vezes maiores que o PIB português se espremiam entre startups e fintechs de todo o planeta, lotando a Expo e todos os hotéis da cidade. Nesta atmosfera, enquanto eu descobria o 9º. melhor sistema público de saúde do mundo sob meus pés, recebia o convite para escrever este artigo. Voltei meu olhar inteiramente para o Brasil, tendo como foco entender primeiro onde estamos, para então avaliar para onde iremos.


Veja Mais

Impacto Financeiro da Ampliação do Rol de Procedimentos 2018

Conheça o impacto estimado do novo Rol de Procedimentos, calculado com base na RN 428/17. O objetivo deste relatório é apresentar a análise da Strategy Consultoria em relação ao impacto da inclusão de novos procedimentos bem como aqueles que sofreram alteração de DUT no Rol da ANS, nas despesas assistenciais das operadoras de planos de saúde, vigente a partir de janeiro de 2018.


Veja Mais

Variação de Custos em saúde por faixa etária

Quando contratamos um plano de saúde, adquirimos, na verdade, cobertura de despesas assistenciais sem limite financeiro, por prazo indeterminado, por profissionais contratados ou credenciados pela Operadora.


Veja Mais

Consulta Pública - Rol de Procedimentos 2018

O objetivo deste relatório é apresentar a análise da Strategy Consultoria em relação ao impacto da inclusão de novos procedimentos bem como aqueles que sofreram alteração de DUT no Rol da ANS, nas despesas assistenciais das operadoras de planos de saúde, vigente a partir de janeiro de 2018.


Veja Mais

INFLAÇÃO MÉDICA - Uma análise atuarial da evolução dos custos da saúde suplementar

Muito se discute no momento sobre o crescimento acelerado dos custos em saúde, especialmente no sistema privado. Em contrapartida, todos os atores envolvidos nesta cadeia (operadoras de planos de saúde, prestadores de serviços e fornecedores de materiais e medicamentos) alegam que seus recursos estão cada vez mais escassos.


Veja Mais

Impacto do Ressarcimento por Modalidade das Operadoras

Este texto visa contribuir com uma análise mais detalhada no que tange ao impacto do ressarcimento ao SUS no mercado de saúde suplementar, de modo a verificar como esta despesa se comporta quando consideramos a modalidade em que as operadoras são classificadas.


Veja Mais

Planejamento da Margem de Solvência II

É sabido que a Margem de Solvência, no âmbito da Saúde Suplementar, é uma referência quanto ao valor mínimo de patrimônio líquido, ajustado por efeitos econômicos, para operar planos de saúde e garantir a solvência de sua operação, ou seja, representa o montante necessário para garantir que a operadora irá honrar seus compromissos futuros.


Veja Mais

Mortalidade dos Beneficiários de Plano de Saúde

A população coberta por planos de saúde tem taxa bruta de mortalidade 54% inferior à taxa da população em geral. Entenda este comportamento através de uma análise comparativa.


Veja Mais

O Impacto do Ressarcimento ao SUS na Saúde Suplementar

O ressarcimento ao SUS é gerado pela utilização da rede pública de atenção a saúde por beneficiários de planos privados de saúde. Atualmente isto corresponde a 0,3% da sinistralidade das Operadoras. No Brasil, o acesso à saúde pode se dar tanto pela rede pública, através do Sistema Único de Saúde (SUS), quanto pela rede privada, por meio de Operadoras de Planos de Saúde ou demais prestadores particulares.


Veja Mais

A Saúde Suplementar em Tempos de Crise

A recessão é definida como o período de declínio econômico geral, caracterizado como uma contração no Produto Interno Bruto (PIB) por seis meses (dois trimestres consecutivos) ou mais. Mankiw (2014) a define como um período de declínio dos rendimentos reais e aumento do desemprego. As recessões não são associadas apenas com rendimentos mais baixos, mas também com outras formas de perturbação econômica: aumento do desemprego, diminuição dos lucros, aumento das falências, salários estagnados e queda nas vendas no varejo. Geralmente não dura mais de um ano e é muito mais suave do que uma depressão, considerada assim uma parte normal de uma economia capitalista.


Veja Mais

Planejamento da Margem de Solvência I

A Margem de Solvência no âmbito da Saúde Suplementar é a capacidade de uma operadora de planos de saúde honrar seus compromissos futuros. A ANS regulamentou a matéria, determinando que este montante deve corresponder ao valor mínimo de patrimônio líquido, ajustado por efeitos econômicos.


Veja Mais